AUMENTO

Grãos adicionam mais 1 milhão/t a MT 392

Novo levantamento da Conab ajustou para cima estimativa de produção de milho 2ª safra e soja em Mato Grosso, assegurados pela produtividade e clima.


Em nova revisão de estimativas, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ampliou pela terceira vez consecutiva a projeção de produção da safra 2016/17 de grãos e fibra de Mato Grosso, que além de se manter a maior do País, será histórica, com 57,97 milhões de toneladas (t), adição de pouco mais de 1 milhão/t em relação ao mês passado. Já em relação ao ciclo passado, quando foram consolidadas 43,42 milhões/t, o crescimento anual passa de 33%.

A diferença positiva entre o oitavo e o sétimo levantamento da estatal segue alicerçada na produtividade das principais culturas – soja, milho e algodão – que corresponderam ao clima favorável, especialmente a observada na soja e no milho safrinha, que juntos somam 55,23 milhões/t de toda a oferta estimada para o Estado. Se os dados divulgados ontem pela Conab se confirmarem, Mato Grosso segue pelo sexto ano seguido como o produtor nacional, respondendo nessa temporada por 25%, um quarto da colheita nacional, também redimensionada para cima, agora em 232 milhões/t.

Completam os três maiores produtores do país junto com Mato Grosso, Paraná, com previsão de oferta de 41,45 milhões/t (+15,9%) e o Rio Grande do Sul com projeção de 35,32 milhões/t (+7%).

Como apontam os dados, Mato Grosso cultivou nessa safra 14,81 milhões de hectares (ha), 5,8% a mais que os 14 milhões do ciclo 2015/16. Ganho na oferta veio da produtividade que avançou 26%, ao passar de 3.101 quilos/ha para uma média entre as culturas de 3.913 quilos/ha.

CULTURAS – os técnicos da Conab destacam que o milho safrinha, em nível Brasil, registra a oitava safra seguida de aumento em área plantada. Na região Centro-Oeste, principal produtora nacional, a área plantada está estimada em 7,40 milhões/ha, representando um incremento de 9,7% em relação ao plantio passado. Em Mato Grosso, o plantio da segunda safra, que perdurou até a segunda quinzena de março, apresentou aumento significativo de 15,5% em comparação com o exercício anterior.

“Esse incremento de área deveu-se à expectativa inicial de bons preços, fato que não se confirmou no Estado por muito tempo, às condições climáticas favoráveis e à disponibilidade de insumos. A área plantada com o cereal saiu de 3,76 milhões/ha em 2015/16 para 4,35 milhões/ha na atual safra. As condições climáticas têm favorecido as lavouras em todo o Estado, com chuvas regulares até a segunda quinzena de abril. Na região médio-norte, maior produtora do cereal, estima-se cerca de 80% a 90% das lavouras estejam na fase final de frutificação e/ou maturação. Portanto, do ponto de vista agronômico, há garantia de boa produtividade naquela região, mesmo que não haja chuvas nas próximas semanas”, explicam os técnicos responsáveis pelo levantamento.

Diante dessas constatações, estima-se rendimento médio do milho segunda safra de 5.679 kg/ha, ante aos 3.999 kg/ha na safra 2015/16, incremento de 42%. O aumento de área, combinado com a recuperação da produtividade, permite projetar produção recorde de 24,72 milhões/t, volume 64% superior as 15 milhões/t do período anterior. No mês passado, a Conab projetava 24,19 milhões/t.

A expectativa é que a colheita se inicie antes da virada deste mês, contudo, o maior volume de trabalho será concentrado em junho e julho devido à maturação fisiológica da lavoura, reduzir o excesso de umidade do grão.

Veja também

CÁCERES MP aponta irregularidades e tenta anular processo seletivo
VLT Trens do VLT podem parar na África e secretário diz ser possível operar trecho até o fim de 2018
BOLADA Mega-Sena acumula e pagará prêmio de R$ 32 milhões
SAÚDE Nobres receberá R$ 1,5 milhão da Votorantim para utilizar na Saúde
DESEMPREGO Desemprego em Mato Grosso atinge menor patamar dos últimos quinze meses
SELETIVO Guarantã no Norte abre processo seletivo para contratação de agentes de saúde; salário de R$ 1,2 mil
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados