REDUÇÃO

Governo do Estado reduz débito com Hospital Municipal São João Batista 1263


Na última segunda-feira (13), prefeitos, gestores da área de saúde, vereadores e representantes de entidades da sociedade civil organizada dos quatro municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Centro-Norte (Diamantino, Alto Paraguai, Nortelândia e São José do Rio Claro) se reuniram, em Cuiabá, com o secretário estadual de saúde, João Batista Pereira da Silva. Também participaram da reunião o secretário-executivo de saúde de Mato Grosso, Wisley Clemente, e os deputados estaduais Guilherme Maluf, Dilmar Dal Bosco, Wagner Ramos e José Domingos Fraga.

O objetivo do encontro foi reivindicar a atualização dos repasses ao Hospital Municipal São João Batista. Os recursos do estado para o Hospital, na ordem de R$ 419 mil mensais, estavam atrasados desde outubro de 2016. O Hospital São João Batista atende a pacientes de 11 municípios da região.

O prefeito de Diamantino, Eduardo Capistrano, é o presidente do Consórcio. Para ele, a reunião teve bons resultados, já que o Governo fez o repasse de duas parcelas. “Ainda temos duas [parcelas] em atraso. Mas, a tendência é que este ano o repasse volte a acontecer no tempo correto. Os atrasos que existem são referentes a outubro e novembro de 2016, que a Secretaria de Estado de Saúde ordenou como ‘resto a pagar’”, afirmou.

O prefeito lembrou que o apoio das autoridades e de entidades da sociedade civil foi fundamental para a conquista do pagamento de duas parcelas. “Queremos agradecer aos prefeitos das cidades vizinhas, que fazem parte do Consórcio e fortaleceram a reunião. Agradecer também à sociedade civil organizada: Acid, maçonaria, Rotary, e ao polo regional de saúde também, que compareceu e nos ajudou muito” ressaltou.

O vice-prefeito Claudimar Barbacovi, também participou do encontro. Segundo Gaúcho, o pagamento das duas parcelas vai dar algum fôlego, para a administração do Hospital. “Estavam atrasados praticamente cinco meses de repasses do hospital. com médicos, enfermeiros e toda a equipe precisando receber, para continuar trabalhando. Com esses dois meses que o Governo repassou, vai diminuir o débito que o hospital tem com esses profissionais”, lembrou.

Veja também

Temer diz que 'população vai compreender' aumento de impostos
AGRICULTURA Blairo defende no Nortão abertura de novos mercados
ENSINO SUPERIOR Proposta proíbe funcionamento de cursos mal avaliados pelo MEC
Governador reclama de grupos de WhatsApp
Ex-deputado vira réu acusado de nomear a própria doméstica
BLOQUEADO R$ 606 MIL Por determinação de Moro, Banco Central bloqueia mais de R$ 606 mil de Lula
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados