TENTATIVAS DE FRAUDE

Secretaria de Finanças identifica tentativas de fraude em conta da Prefeitura de Diamantino 2207


O setor de Tesouraria, vinculado à Secretaria Municipal de Finanças, identificou, nos últimos dias, várias tentativas de fraude em uma das contas da Prefeitura. Os casos já foram registrados junto à Polícia Judiciária Civil, que conduz a investigação. Foram 11 cheques falsificados, com valores elevados, somando, no total, mais de R$ 500 mil. Os cheques foram depositados em contas de pessoas físicas em outros estados, como São Paulo e Paraná. A quadrilha que tentou a fraude não conseguiu retirar nenhum valor do município de Diamantino.

Como procedimento de segurança, as contas da Prefeitura são checadas diariamente pela Tesouraria. Os servidores verificaram no extrato de uma das contas, a programação de pagamento de cheques que sequer haviam sido emitidos. O Banco do Brasil foi acionado e bloqueou a compensação dos cheques. As cópias das ordens de pagamento (cheques) foram enviadas à Prefeitura. E descobriu-se que as fraudes eram grosseiras, já que os cheques emitidos ilegalmente são muito diferentes dos cheques emitidos pela Prefeitura. O secretário de finanças, José Claudinei Espinola, comenta o ocorrido. “No dia 5 de abril, ao fazer a conferência diária, nosso tesoureiro se deparou com uma situação que chamou muito a atenção: um cheque de alto valor que seria descontado na conta do município. Automaticamente, ele tomou as providências. Ligou para o banco e pediu que a compensação daquele cheque fosse suspensa. Posteriormente, apareceram outros cheques. No total, 11, todos com altos valores. Nosso tesoureiro, junto com o Departamento Jurídico, foi conversar com o senhor Miguel, que é o gerente de contas do município. Foram suspensas todas as compensações, e fizemos o Boletim de Ocorrência [B.O] para que a Polícia Judiciária Civil tome todas as providências legais cabíveis”, explica.

Os cheques emitidos pela Prefeitura são impressos em uma impressora especial. Além disso, levam os carimbos e assinaturas do prefeito Eduardo Capistrano e do tesoureiro, Claudimar da Luz. Já os cheques fraudados foram escritos à mão e foram assinados “de qualquer jeito”. “Temos procedimentos padrão de segurança. O cheque é feito em uma impressora térmica. São duas assinaturas, com dois carimbos, ou seja, procedimento de segurança padrão de ente público”, explica Espinola.

O prefeito Eduardo Capistrano destaca a eficiência da administração, garantindo que o município de Diamantino não será prejudicado por fraudes. “Foram valores altos, acima de R$ 45 mil, R$ 90 mil. Detectamos em tempo hábil. Está tudo sob controle. Esperamos que Polícia descubra essa quadrilha. Mas, o importante, é que dinheiro do município, ninguém tira”, enfatiza.


Veja também

FETHAB Prefeitos rejeitam a proposta de uso do Fethab para saúde e cobram AL
PLANEJAMENTO Prefeitura investe em planejamento na gestão da saúde de Diamantino
OPORTUNIDADE Parceria entre Prefeitura, Acid e Sebrae viabiliza capacitação em estratégia de vendas
CULTURA Percorrida da Bandeira do Divino mantém viva tradição de Diamantino
3ª VARA Tribunal de Justiça implanta 3ª vara na comarca de Nova Mutum
JBS: MÃO ABERTA Friboi doou R$ 3,2 milhões para 10 parlamentares eleitos de MT
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados