Cassação para o próximo mandato 774


Ao que parece a ação do Ministério Público em que investiga a utilização de “laranjas” na campanha eleitoral de 2016 ficará com seus efeitos para 2020, tamanha morosidade nos tramites do processo. Ao que tudo indica o crime eleitoral realmente compensa e só tem celeridade quando tem gente importante envolvida. Em Diamantino algumas candidatas mulheres não tiveram votos, não movimentaram recursos e não fizeram campanha e ainda  perante ao MP teve uma declaração que fez campanha para outra candidata, o que já configura claramente o crime eleitoral. Três suplentes entraram com a denuncia que ainda está rolando, rolando e rolando...

Caso viesse a ter uma decisão do juízo eleitoral de Diamantino pela anulação da chapa, viso que não preencheu os requisitos para disputa configurando fraude eleitoral, três dos atuais vereadores perderiam o mandato e haveria uma nova composição na câmara de Diamantino. Cabe aos interessados acionar a corregedoria para saber os motivos de tanta demora.

Veja também

Segurança Pública convida
Aniversário confirmado
MONSTRO Pai confessa morte de filha de 3 anos e mostra onde escondeu corpo
DESENVOLVIMENTO BR Foods inaugura núcleo de aviários em Nortelândia
Bate boca no face ganha repercussão nacional
Aniversário de Diamantino
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados