REELEIÇÃO 2018

Pedro Taques comunica deputados sobre projeto de reeleição em 2018 e recebe manifestações de apoio 193


Fotografia: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Caso a vida siga o curso natural, o governador José Pedro Taques (PSDB) vai disputar a reeleição para o governo de Mato Grosso, em 2018. “Ninguém vai ficar para trás. Estaremos juntos [em 2018]. Teremos esforços redobrados para visitar as bases dos senhores e levar melhorias”, prometeu o governador, durante reunião com 15 dos 18 parlamentares da base aliada, na residência do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB).

De forma objetiva, foi a primeira vez que o chefe do Poder Executivo tratou abertamente sobre o tema. Ele reiterou, porém, que o momento é de promover o ajuste fiscal e o equilíbrio financeiro para permitir o avanço de Mato Grosso, principalmente em áreas estratégicas, como saúde, segurança, educação e logística em transporte.

“Sem dúvida, Pedro Taques é candidato à reeleição em 2018. Aliás, ele tratou  isso abertamente. Os deputados presentes saíram com projeto de trabalhar à reeleição de Pedro Taques muito bem encaminhado”, observou Botelho, anfitrião do evento.

“O governador está certo em conversar com quem confia [sobre reeleição], porque há muitos torcendo contra. Vamos trabalhar conjuntamente por Mato Grosso e, na hora certa, seguir o rumo certo”, explicou o deputado Mauro Savi (PSB), o mais votado em 2014.

Há meses, Pedro Taques impõe forte resistência em discutir sua candidatura à reeleição. Em dezembro do ano passado, no auge do confronto com os poderes por causa de atrasos em duodécimos, após greve desgastante dos servidores públicos, ele chegou a comunicar alguns aliados que iria terminar o mandato, em dezembro de 2018, e voltar para sala de aula – é um dos professores mais conceituados de Direito Constitucional.

O deputado Wagner Ramos (PSD) disse que Taques se comprometeu em apoiar cada um dos parlamentares da base aliada, comparecendo nas bases eleitorais de cada um com ações políticas e pedidos de votos. “O governador se comprometeu conosco politicamente. E não há dúvida de que vai disputar a reeleição”, citou Wagner.

Não participaram do jantar os deputados Guilherme Maluf (PSDB), primeiro secretário da Assembleia Legislativa, em licença médica; Romoaldo Júnior (PMDB), em São Paulo para tratamento de saúde, Wancley Carvalho, em missão oficial em Pontes e Lacerda; Adalto de Freitas Daltinho (SD).

Para ampliar a confiança, o governador anunciou a liberação das emendas parlamentares: R$ 500 mil por mês, para cada deputado. O debito global supera  R$ 130 milhões, acumulado desde fins de 2015 e parte de 2016.

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), elogiou a postura do governador. Fabris crê que, em 2018, estarão todos no mesmo palanque: Taques, o ministro Blairo Maggi (PP), vice-goverandor Carlos Fávaro (PSD), o ex-governador Jayme Campos (DEM), o ex-prefeito mauro Mendes (PSB), os senadores Cidinho Santos (PR) e José Antônio Medeiros (PSD).

Veja também

APOIO A INVESTIGAÇÂO Seis vereadores de Cuiabá apoiam investigação contra Pinheiro
COTA DE MULHERES Justiça cassa chapa por ter candidaturas fictícias; decisão muda quociente eleitoral
MULTADOS Ex-prefeito e ex-secretário são multados por contratar servidores públicos sem concurso público
FATO NOVO PARA 2018 “Se eu continuar no TCE, serei infeliz”, diz Antonio Joaquim
PRESTAR CONTAS Assembleia tenta passar para deputados a responsabilidade de prestar contas de verba de gabinete, mas pleno do TCE veta
R$ 503 mil Após polêmica sobre salário de juiz de Sinop, Amam diz que outros 84 receberam
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados