DIVERSIDADE

Unemat usa nome social de transexuais 181


Fotografia: Reprodução

O uso do nome social por pessoas travestis, transexuais e transgêneros em documentos acadêmico-institucionais, no âmbito da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), foi aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conepe), na 3ª Sessão Ordinária de 2017, realizada na última semana (03 e 04.10), em Cáceres.

A resolução irá respaldar a mudança de nome no âmbito interno da instituição, como no caso de carteirinha de estudante, diários de classe, cadastros, fichas, formulários, divulgação de notas, resultados de bolsas e estágios, além de certificados para uso externo, como diplomas, históricos escolares, processos seletivos de ingresso, concursos, dentre outros.

O nome social é aquele pelo qual a pessoa trans se identifica e é identificada na sociedade, e difere do nome civil. Ocorrem situações em que o nome civil não retrata a identidade de gênero da pessoa, o que acaba por lhe causar constrangimentos, decepções e frustrações em seu espaço de convívio e, por consequência, no meio acadêmico.

“A resolução do Conepe, que disciplina o uso do Nome Social na nossa universidade, é mais uma conquista democrática da Instituição, no sentido de incluir e garantir o direito a todas as pessoas que não se identificam com o sexo de nascimento. Sabemos  que ser homem ou mulher é uma construção social e cada ser humano tem o direito à sua identidade de gênero, habitando seu corpo de acordo com essa identidade e com sua vida. A impossibilidade do uso de nome social traz sofrimento pela discriminação e pelo preconceito; e uma universidade inclusiva como a Unemat não poderia se furtar a assumir a importância dessa questão de direitos humanos fundamentais”, avaliou a Pró-reitora de Ensino de Graduação, Vera Maquêa.

O uso do nome social vincula-se à garantia de um tratamento social plural, diverso e democrático. A alteração nos documentos acadêmicos alcança apenas o primeiro nome, não se estende ao sobrenome. Dessa forma, não tem a intenção de modificar a identificação civil dos discentes ou candidatos.

Como proceder- Após a publicação da Resolução do Conepe, o Sistema de Gestão Acadêmico será alterado para adequação à normativa. A inclusão do nome social em registros, documentos e atos da vida estudantil poderá ser solicitada diretamente à Supervisão de Apoio Acadêmico (SAA) ou à Secretaria do Programa de Pós-graduação, onde o curso está vinculado.

Amparo Legal- O reconhecimento à diversidade de gênero de pessoas travestis e transexuais está assegurado nas Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos (2015), no Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (2009), na Resolução da Conferência Nacional de Educação (2010), dentre outros textos legais.

Veja também

EMPREGO Brasil abre 34,4 mil novas vagas de trabalho em setembro
VLT MT já pagou R$ 600 mil do empréstimo
DIA DO IDOSO Secretaria realiza confraternização especial para cerca de 500 idosos
SELETIVO Prefeitura de Nobres abrirá processo seletivo para vários cargos
NINGUÉM GANHA Ninguém ganha e prêmio da Mega Sena acumula
PODE PARALISAR Governo deve mais 900 mil para o hospital regional de Diamantino e mais 10 municípios são afetados
Publicidade

Copyright © 2013 - 2017 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados