• Diamantino, 28/05/2018
  • Dólar: R$
  • Euro: R$
  • Fonte Yahoo Exchange
SÓ COBRANÇAS

“Cidadão está impaciente e tenho as costas riscadas de tanto apanhar”, diz Taques sobre ataques que recebe 521


Fotografia: Christiano Antonucci Santoro / GCom-MT

Prestes a passar pela sabatina da CPI do Fethab e do Fundeb na Assembleia Legislativa de Mato Grosso e enfrentando a eterna cobrança de recursos para saúde, principalmente dos hospitais filantrópicos, o governador José Pedro Taques (PSDB) aproveitou evento em Chapada dos Guimarães na última semana, para reclamar que tem “apanhado demais”. E até fez uma metáfora com o período em que os castigos físicos deixavam as costas riscadas pelas marcas de látego.

O governador afirmou que, por isso, tem trabalhado mais e falado cada vez menos. “Tenho trabalhado muito. Temos de falar menos e trabalhar cada dia mais”, afirmou ele, ao lado da prefeita Thelma de Oliveira (PSDB), de Chapada dos Guimarães, do ex-senador Jayme Campos (DEM) e do senador Wellington Fagunes (PR), entre outros.

Pedro Taques reconhece que as pessoas têm paciência reduzida, quando se trata de julgar e interpretar o trabalho do serviço público. “O cidadão está impaciente. O governador apanha o dia inteiro. As minhas costas estão, assim, todas riscadas de tanto apanhar. Mas apanhar é bom, porque você aprende”, ponderou ele, que sustenta a tese de que o elogio corrompre e a crítica corrige.

Independente do cargo, reconhece que as os ataques são para cobrar melhorias coletivas. “O título é passageiro e o cargo é temporário. É importante que sejamos cidadãos”, ponderou.

O  chefe do Poder Executivo de Mato Grosso se apressou em corrigir sua tese, ao lembrar que não é o único gestor público cobrado e, sim, todos os detentores de mandato, inclusive os vereadores. “Vereador é muito imporante. E é cobrado o tempo todo, até quando está no velório, no batizado, no aniversário está lá o eleitor cobrando-o”, ponderou, ao lado de nove vereadores de Chapada dos Guimarãs e três de Cuiabá – Dilemário Alencar (Pros), Marcrean Santos (PRTB), Mário Nadaf (PV).

Na sessão de confetes, Taques enalteceu a história de Jayme Campos, num autêntico desagravo público às dificuldades jurídicas que a prefeita Lucimar Campos (DEM), de Várzea Grande, vem enfrentando, duas vezes cassada pela Justiça Eleitoral. O recurso de Lucimar Campos deve ser julgado em fevereiro pleo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O goverandor recordou que, na infância, comeu lata de leite Ninho, em pó, comprada fiado, no empório Futurista, do saudoso Júlio Domingos de Campos, o seo Fiote, pai dos ex-governadores Jayme Veríssimo e Júlio José de Campos. “Jayme Campos tem o meu respeito. Não precisaria estar aqui. Mas está aqui, porque ama o seu Estado. Ama Chapada dos Guimarães. Ele teve 75% dos votos de Chapada [em 2006, para o Senado]. E, eu, tive 76%”, complementou Pedro Taques Taques.

Veja também

NEGADO ONU rejeita pedido de medidas cautelares de Lula para ser solto
REVIRA Giripoca articula e pode ser o futuro Presidente
RISCO TCE vê risco de colapso financeiro em MT e veta pagamento de RGA para servidores
SINTO DECEPÇÃO Fávaro diz que evitou romper com Taques antes para não desestabilizar MT
POLÍTICA “DEM marchará com Pedro Taques”, crava Wilson, apesar de críticas de Mendes e Júlio
SAIBA QUEM 31 ex-aliados decidem assinar manifesto contra reeleição de Taques
Publicidade

Copyright © 2013 - 2018 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados