• Diamantino, 13/12/2018
  • Dólar: R$
  • Euro: R$
  • Fonte Yahoo Exchange
GREVE

Correios entrarão em greve na próxima segunda-feira (12) 285

Segundo o sindicato da categoria, mudança nas regras de plano de saúde prejudica trabalhadores


Fotografia: Reprodução

A partir da próxima segunda-feira (12), os trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) deflagram greve. Eles são contrários a mudanças nos planos de saúde como exclusão de pais como dependentes e cobranças de mensalidades. A greve é por tempo indeterminado.


O presidente do sindicato da categoria, Altannes Holanda, afirma que a greve antecede uma votação no Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre as cobranças.


“A gente vai entrar em greve na segunda e aguardar se vai acontecer algo de diferente. Já que o TST vai julgar a causa na segunda à tarde. Iniciamos a segunda em greve e aguardaremos o julgamento e se a empresa vai nos chamar para negociar. Porque depois que mudar não há o que fazer, a gente sabe que é muito complicado. A greve é nacional e caso haja a mudança, a gente vai aguardar as orientações, e se isso for aprovado vai ficar muito complicado para o trabalhador que tem um salário médio de R$ 1.700 e a empresa quer mensalidades a R$ 1000,00, como vamos pagar isso?”, questiona.


Holanda diz que com a mudança além dos trabalhadores, os beneficiários também serão prejudicados. A reivindicação, segundo ele, visa evitar transtornos nas condições atuais.


“É a questão do plano de saúde basicamente, a empresa está querendo cobrar o plano de saúde da gente e retirar do plano os pais dos empregados como dependentes. Atualmente a gente só paga o compartilhamento, ou seja, o que a gente usar a gente paga um percentual, sem mensalidade nenhuma. Mas a empresa agora junto com o TST quer implantar mensalidade além de retirar o pai e mãe“, pontua.


O sindicalista destaca também que as condições de trabalho dos carteiros em Alagoas também são alvo de reivindicações, já que há um déficit crescente que tem surtido efeitos na distribuição e correspondências no Estado.


“Outra pauta que a gente vai colocar que é muito necessária é que a gente está com uma falta de efetivo muito grande, inclusive é o que tem gerado muitas reclamações da população, a falta de carteiros. O problema hoje de falta de carteiros beira o caos. A gente está com diversas unidades operando com metade do efetivo. Além dos planos de demissão incentivada, nós temos diversos trabalhadores afastados por conta da sobrecarga, porque é uma bola de neve. Se a gente está com poucas pessoas para fazer o serviço, essas poucas pessoas acabam adoecendo devido ao acúmulo de trabalho. Hoje a gente tem aproximadamente 30% de carteiros afastados ou reabilitados porque não conseguiram mais retornar fora os trabalhadores que saíram no plano de demissão incentivada”, garante.


Segundo Holanda, a população deve receber um serviço de melhor qualidade, o que no entanto, não dependeria apenas dos trabalhadores.


“A gente calcula uma média de 100 carteiros, o déficit é este em todo o estado. Temos em torno de 350 carteiros no total, segundo nossos levantamentos, porque a empresa não nos passa números oficiais. Temos em torno de 350, quando o ideal seria 450. A gente fica preocupado com isso porque entendemos que a população tem toda o direito de cobrar um serviço melhor, mas a responsabilidade não é do trabalhador. O trabalhador está se matando em condições insuficientes para dar conta do serviço”.

Veja também

TEMPO Semana deve continuar com pancadas de chuva em Cuiabá; 33 cidades de MT com alerta de granizo e temporal
EDUCAÇÃO Campus da Unemat em Nova Mutum passará por adequações
FAEPEN Faepen abre inscrições para contratação de professores para Engenharia de Alimentos da Unemat
DADOS IMEA Após sequência de quedas, custo da lavoura de soja dispara e é o maior em 5 anos no MT
Suspeito Candidatos denunciam falhas em concurso da Prefeitura de Diamantino (MT) e até uso de celulares durante as provas
Eats For You Aplicativo que conecta cozinheiros com amantes de comida caseira chega em Cuiabá
Publicidade

Copyright © 2013 - 2018 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados