• Diamantino, 13/12/2018
  • Dólar: R$
  • Euro: R$
  • Fonte Yahoo Exchange
PAUTA

Senador de MT apresenta parecer favorável ao fim da aprovação automática de alunos 233


Fotografia: Reprodução

Relatório do senador José Medeiros (Pode) favorável ao projeto que acaba com a aprovação automática de alunos nos ensinos fundamental e médio está na pauta de votação da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). O parecer de Medeiros traz críticas à chamada escola ciclada. “A Educação, além de ser sem partido, precisa ser fiel à realidade. Não adianta tapar o sol com a peneira com números de ‘aprovação’ quando lá na frente as análises de desempenho mostram nossos jovens praticamente semianalfabetos”.

 

Medeiros concorda com o fim da aprovação de estudantes que não possuam notas suficientes. Segundo ele, a progressão continuada foi implementada no Brasil sem que houvesse uma mudança estrutural e pedagógica no sistema que sustentasse esse modelo. "Ela se transformou em aprovação automática dos alunos, que avançam os ciclos sem estarem prontos, até que terminem seus estudos sem estarem preparados para o mercado de trabalho e para a vida”.

 

O senador lembrou que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional implantou no Brasil a possibilidade de um aluno do ensino fundamental ou médio passar de ano sem ter atingido as notas mínimas para aprovação. A reprovação só pode ocorrer ao fim de um ciclo, que engloba mais de um ano letivo ou série. Na avaliação de Medeiros, esse sistema está causando uma decadência na qualidade da formação dos estudantes brasileiros.

 

“Nosso país está deixando de crescer em razão da falta de qualidade na formação de nossos estudantes. Não é à toa que os resultados das avaliações de desempenho dos estudantes são vergonhosos e o Brasil ocupa uma das piores posições na avaliação mundial de educação. Em 2015, entre 70 nações avaliadas, o Brasil ficou em 63º em ciências, 59º em leitura e 65º em matemática”, afirmou Medeiros, em seu relatório.

Veja também

Wener Santos foi convidado para assumir a Secretaria Adjunta de Cidades
SUSPENSO Justiça derruba atos da Câmara e devolve cargo à prefeita de Denise
BBC Da cadeia, Lula diz que venceria Bolsonaro e acusa Moro de ‘fazer política e não justiça’
HOJE Oposição do executivo vai disputar presidência da Câmara de Acorizal
MOVIMENTO MBL começa a ganhar força em Tangará
DEBOCHE Aumento de salário dos togados do STF vai custar R$ 6 bilhões aos cofres públicos
Publicidade

Copyright © 2013 - 2018 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados