• Diamantino, 21/11/2018
  • Dólar: R$
  • Euro: R$
  • Fonte Yahoo Exchange
PEPINO

Mauro estuda alternativas para manter o MT Saúde, mas não descarta extingui-lo 273


Fotografia: Reprodução

O governador eleito Mauro Mendes (DEM) vai herdar vários “pepinos” a partir de 1º de janeiro de 2019, quando assumir a cadeira de Pedro Taques (PSDB). Um deles é o plano de saúde dos servidores públicos, o MT Saúde.

Criado em julho de 2003, o plano de saúde atende 26 mil beneficiados. No entanto, soma dívida de R$ 30 milhões com os hospitais credenciados. O débito fez com que alguns hospitais ameaçassem interromper os serviços. O Santa Rosa, por exemplo, encerrou o convênio em definitivo desde outubro do ano passado.

Mauro afirma que ainda não tem a receita para resolver os problemas do MT Saúde. Explica que no período de transição buscará mais informações para analisar a real situação do plano e buscar alternativas. “Precisamos saber o que está acontecendo, entender o porquê não cumpre o seu papel e buscar alternativas necessárias para que se cumpra os serviços prestados ou se extingue”, disse ao RDNews

Na Assembleia, aumenta o coro de parlamentares que defendem a extinção do plano, justamente por não cumprir o seu papel. A reclamação mais recente foi do deputado Max Russi (PSB), afirmando que o MT Saúde não atende as expectativas dos servidores.

Outro que também já cogitou a extinção foi o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB). Proprietário do Grupo Santa Rosa, o tucano defende uma reestruturação do plano, caso contrário está com os dias contatos. A ideia é que o pçano seja tocado pelos próprios servidores.

A receita do plano é formada pela parte paga pelos beneficiários, que gira em torno de R$ 5,5 milhões por mês, e o repasse do Estado, que resulta em um montante de R$ 9,6 milhões.

Veja também

MOVIMENTO MBL começa a ganhar força em Tangará
DEBOCHE Aumento de salário dos togados do STF vai custar R$ 6 bilhões aos cofres públicos
DESDOBRAMENTOS Dono da JBS diz que articulou nomeação de Rodrigo Figueiredo para favorecer empresas
VOTAÇÃO Carlos Alberto da Rocha é eleito presidente; Maria Helena será vice
Exemplo Candidato que bradava contra a corrupção é acusado de caixa 2 e não pagar cabos eleitorais
Assédio Justiça do Trabalho concede liminar em ação do MPT para coibir assédio eleitoral em empresas
Publicidade

Copyright © 2013 - 2018 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados