• Diamantino, 23/05/2022
PRESENTE

Aneel aprova reajuste de 22,5% na tarifa de energia em MT

O reajuste anual será de 20,36% para clientes residenciais, 21,62% para os demais consumidores na baixa tensão e 24,96% para a alta tensão.



A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o reajuste anual da tarifa da Energisa Mato Grosso em 20,36% para clientes residenciais e 22,55% na média de todas as categorias. O reajuste entra em vigor no sábado (16).





Para os demais consumidores na baixa tensão, o reajuste será de 21,62% e para alta tensão, 24,96%.




Segundo a Aneel, com a aplicação conjunta dos dois efeitos - o reajuste e bandeira verde -, as tarifas residenciais serão praticamente mantidas, com redução da ordem de 0,04% no estado.




A Energisa informou que antecipou a devolução do crédito de Pis e Cofins a seus clientes, para atenuar o reajuste neste ano, em valores que somam um total de R$ 230 milhões, além de aderir ao empréstimo concedido às distribuidoras pelo governo federal e aprovado pela agência reguladora.




O reajuste anual da tarifa é definido pela agência reguladora, tendo como base o contrato com a concessionária.




Do total do reajuste, a parte que cabe à Energisa Mato Grosso responde por 5,24%, devido aos investimentos e custos operacionais. O restante, ou seja, os demais 17,31%, decorrem de fatores como aumento dos encargos setoriais e custos extraordinários devido à crise hídrica, que obrigou o despacho de termelétricas responsáveis pela produção de uma energia mais cara.




Segundo a Aneel, o cenário econômico no Brasil e no mundo também influenciou no reajuste deste ano.




Na parte de encargos setoriais, a conta de consumo de combustíveis sofreu um aumento de mais de 21% no último ano, encargo que compõe a tarifa de todas as distribuidoras do país.




Este dinheiro é usado para subsidiar os custos anuais de geração em áreas isoladas ainda não integradas ao Sistema Interligado Nacional (SIN).




Na última quarta-feira (6), o governo federal anunciou outra iniciativa que ajudará a aliviar a pressão sobre a conta de energia: o fim da bandeira de escassez hídrica no dia 16/04 e que gerava uma taxa extra de R$ 14,20 na conta a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.




A partir desta data, passa a vigorar a Bandeira Verde, que não cobra adicional na fatura.



Veja também

DEFEITO Justiça manda substituir carrão que estragou durante garantia
FIM DA POLICIA STJ decide que revista pessoal baseada em “atitude suspeita” é ilegal
APROVEITAR Sefaz prorroga prazo para regularização de dívidas do Simples Nacional até 29 de abril
SORTE GRANDE Mega-Sena deixa 44 novos milionários em SP e revolta quem ficou fora de bolão de empresa: 'choram sem parar'
BOA NOTICIA Caixa: mais de 1,5 milhão de pessoas já solicitaram novo microcrédito
EXEMPLO Santa Rita do Trivelato lança doação de lote como incentivo para novas empresas se instalarem no município
Publicidade

Copyright © 2013 - 2022 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados