• Diamantino, 24/04/2019
EDUCAÇÃO

Ano letivo começa nesta segunda e professores param na terça


Fotografia: Reprodução

Mais de 390 mil alunos começam o ano letivo na rede estadual de educação nesta segunda-feira (11), mas, um dia depois, uma paralisação já afetará as aulas dos estudantes. Isso porque está prevista uma greve de 24 horas dos servidores da educação, que, segundo o sindicato da categoria, deve contar com a adesão de pelo menos 600 das 768 unidades escolares.


 


Além da greve de 24 horas, os servidores públicos realizam na terça-feira (12) um ato público em frente ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), às 14 horas. A paralisação dos educadores faz parte do dia de mobilização dos servidores públicos contra as medidas implementadas pelo governador Mauro Mendes (DEM).


 


Entre os projetos propostos pelo governo que foram aprovados pela Assembleia Legislativa estão o estabelecimento de critérios para o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), assim como a mudança na gestão do MT Prev, que possibilita o aumento da alíquota previdenciária.


 


Segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), a greve ainda em fevereiro não está descartada, especialmente se o governo não repensar o tratamento dado aos servidores, que inclui o escalonamento de salários e o pagamento da RGA integralmente.


 


Entre as questões de mais polêmica para os educadores está o cumprimento da 510/2013, que garante, caso seja cumprida, a dobra no poder de compra dos salários dos educadores até 2024. Mas, para que ela seja efetivada, é necessário que a recomposição anual da inflação, a RGA, seja paga.


 


Pela portaria 571/2018 as escolas devem ter, no mínimo, 200 dias letivos e 800 horas de carga horária, exceto na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Veja também

EDUCAÇÃO ALTO PARAGUAI Governo Municipal reforma escola e alunos volta a ter aulas.
NA MANHÃ DE QUINTA PRF impedirá índios de cobrar pedágio em MT
ÓLEO DIESEL Caminhoneiros anunciam greve em 1 mês; Mato Grosso não adere movimento
Vagas de trabalho ALMT aprova criação de 165 novas vagas para cargo de auxiliar ministerial no MPE com salários de R$ 1,8 mil
Não é Diamantino Estado flagra desvio de combustíveis; carro abasteceu 1,4 mil litros em 3 dias
HISTÓRIA Frente fria histórica matou quase 20 escravos em Mato Grosso
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados