• Diamantino, 25/05/2020
FORA POR ENQUANTO

Botelho comunica cúpula do DEM que não pretende ser candidato a prefeito

Até o momento o parlamentar vinha sendo considerado um verdadeiro coringa pelas lideranças


O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), comunicou a cúpula do partido que disputar as eleições municipais de 2020 está fora de cogitação. A informação foi confirmada por Júlio Campos (DEM). Até o momento o parlamentar vinha sendo considerado um verdadeiro coringa pelas lideranças da agremiação, que enxergavam nele condições políticas para disputar tanto a Prefeitura de Cuiabá quanto a de Várzea Grande.


“Ele já disse que não tem possibilidade e que não é pretensão dele disputar a eleição”, afirmou Campos. O ex-governador  ainda afirmou que ao retirar seu nome para possível candidatura, o presidente da AL não deu pistas sobre que rumos pretende tomar nos próximos anos. “O Botelho é um enigma, né? Bom articulador, mas não abre muito a boca. Papa banana, fala pouco”, declarou.

Julio sustenta que o projeto o DEM é ter candidatura própria na Capital, mas não descarta uma eventual aliança em prol da reeleição de Emanuel Pinheiro (MDB). A possibilidade de uma união entre democratas e emedebistas esquentou, nas últimas semanas, os ânimos entre Pinheiro e o suplente de senador Fábio Garcia, presidente do DEM em Mato Grosso. O prefeito cogitou ter o apoio do DEM e foi rebatido rispidamente por Garcia.

“Ninguém está discutindo nome nesse momento. Aliás, nós até combinamos por decisão do próprio governador que só iríamos discutir nomes a partir de março do ano que vem, após a abertura da janela partidária que muita gente pode mudar de partido. Em abril nós vamos sentar e conversar de nomes para a Prefeitura de Cuiabá e de outros municípios de Mato Grosso. Agora, essas elucubrações, essas conversas ninguém consegue segurar. Em política tudo é possível. Só não é possível, a política só não consegue segurar a morte, o resto é tudo dialogado”, relativizou.

Julio concorda com a tese de candidatura própria do DEM em Cuiabá, mas reconhece a proximidade da família Campos com a Pinheiro, um dos argumentos de Emanuel para considerar “natural” uma possível  coligação entre os dois grupos políticos.

“Ninguém pode desconhecer da nossa amizade pessoal com os Pinheiros. Fomos aliados, o pai dele, velho e saudoso deputado federal Emanuel Pinheiro da Silva Primo era amigo de meu pai e do nosso partido, o velho PSD de Filinto Muller e Ponce de Arruda. Essa amizade tem 50 anos, 60. Meu pai era prefeito de Várzea Grande em 1958-59-60 e o Emanuel Pinheiro recém formado advogado no Rio de Janeiro foi trabalhar na prefeitura como assessor jurídico de meu pai em Várzea Grande e meu pai lançou ele para deputado estadual em  62 pelo antigo PSD, essa amizade que felizmente até hoje existe, mas não significa que essa amizade pessoal e fraternal signifique apoio político”, ponderou.

Veja também

PANDEMIA NO LEGISLATIVO Botelho confirma 8 casos de Covid, mas descarta “fechar” a AL
EFEITO CORONAVÍRUS Botelho: Se a crise se alongar, eleição terá que ser adiada
ASSEMBLEIA Janaina conta com apoio de 10, mas crê em reeleição de Botelho à presidência
SENADOR ACom as candidaturas de Pivetta, Fávaro e Júlio, Mauro ficará neutro, afirma Botelho
LONGEVIDADE NO PODER Carvalho elogia Botelho, mas garante que Paiaguás não interfere por reeleição na AL
REGULARIZAR TRE muda prazos para regularizar quase 600 mil títulos e evitar ausências em eleição suplementar
Publicidade

Copyright © 2013 - 2020 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados