• Diamantino, 23/03/2019
ECONOMIA

Comércio de veículos novos fecha o ano com alta de 29% em Mato Grosso 319


Fotografia: Reprodução

A venda de veículos fechou o ano atendendo as expectativas de avanços na economia. De janeiro a dezembro foram comercializadas 94.827 unidades em todos os segmentos. Foram 29% a mais que em 2017, quando se vendeu 73.486 unidades entre automóveis, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).


No acumulado, por tipo de veículos, houve avanço em todos os segmentos. Os classificados como automóveis e comerciais leves registraram aumento de 29,7% com 48.040 unidades em 2018. A lista segue com caminhões e ônibus (53,7%) com 3.089 unidades. Este foi um segmento de destaque devido ao bom desempenho do agronegócio. Para motos, teve alta de 20,7% com 36.998 unidades vendidas no ano. No implemento rodoviário, com 4.216 unidades, teve aumento de 143,56%.


Em dezembro, o licenciamento total cresceu 28,25% na comparação com novembro. O resultado do mês, com 9.428 veículos liberados para rodar nas ruas de Mato Grosso, foi um dos melhores desempenhos mensais do ano passado, devido não só à economia que dá sinais de recuperação, mas também por conta de registros não realizados em novembro e que foram lançados no último mês do ano. Em novembro comercializou-se 7.351 unidades.


“Dezembro carregou uma demanda reprimida de vendas, cujos veículos não foram emplacados por conta da atualização do sistema de geração de notas fiscais na Secretaria de Estado de Fazenda”, explicou o diretor da Fenabrave Regional Mato Grosso, Paulo Boscolo.

Veja também

Saída de Cuiabá Juiz manda posto pagar R$ 800 mil em multas por preço abusivo em combustível
ECONOMIA Gasolina sobe em 25 estados, diz ANP; valor médio avança 0,59% no país
TROTES Samu recebeu 1.061 trotes apenas no feriado de carnaval deste ano
EDUCAÇÃO Unemat divulga edital do Vestibular com 3.020 vagas em todo o Estado
DIAMANTINO NA UCMMAT Nova Mesa Diretora da UCMMAT faz a primeira reunião de trabalho
ECONOMIA Principais produtos consumidos na Capital ficam 10% mais caros e custam R$ 453
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados