• Diamantino, 05/07/2020
DÍVIDA ELEITORAL

Justiça manda PSDB para o Serasa e “salva” chácara de deputado de MT

Produtora de vídeo cobra cerca de R$ 2 mi de serviços prestados da campanha de Wilson Santos em 2016


 


O juiz da 7ª Vara Cível de Cuiabá, Yale Sabo Mendes, determinou a inscrição do Diretório Municipal do PSDB no Serasa em razão do não pagamento de uma dívida de R$ 2,2 milhões do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), assumida pela sigla. As contas do partido na Capital também foram bloqueadas. A decisão é do último dia 4 de dezembro.


A medida pode “salvar” uma chácara do próprio Wilson Santos, que foi penhorada pela Justiça em razão do não pagamento da dívida, oriunda das eleições de 2016, quando Santos foi candidato a prefeito de Cuiabá – sendo derrotado por Emanuel Pinheiro (MDB).


“Defiro a exclusão do polo passivo desta execução de Wilson Pereira dos Santos. Promova-se as retificações pertinentes, inclusive relativas ao Serasa e anotações premonitórias desta execução à margem de matrículas de imóveis de propriedade do executado. Outrossim, defiro as buscas via convênio Bacenjud em desfavor do executado PSDB – Diretório Municipal. Mantenha-se o processo em gabinete até que se processe a ordem de bloqueio expedida”, diz trecho da decisão.


De acordo com informações do processo, a campanha de Wilson Santos contratou a Monkey Filmes, de Cuiabá, no ano de 2016, para a prestação de serviços de mídia do candidato – como a captação de imagens e áudios para a elaboração de inserções na TV e também no rádio. Considerando o 1º e o 2º turno, o negócio à época foi fechado em R$ 1,7 milhão – posteriormente atualizado para R$ 2,2 milhões.


Porém, de toda a dívida, apenas R$ 280 mil foi paga. Como forma de garantir o pagamento do débito, a Justiça, então, determinou a penhora de uma chácara de Wilson Santos. O PSDB de Cuiabá tentou reaver o imóvel dizendo que iria cobrir o “calote” – o que não ocorreu.


A decisão de Yale Sabo Mendes, porém, determinou a "retificação" das averbações de indisponibilidade dos imóveis de Wilson Santos – ou seja, a chácara pode retornar à propriedade do deputado estadual.


Wilson Santos obteve 103.483 votos nas eleições de 2016 (39,59%). Ele acabou derrotado por Emanuel Pinheiro, que somou 157.877 votos (60,41%).

Veja também

JUSTIÇA ELEITORAL Fávero tenta desfiliação do PSL e partido lembra: foi eleito com voto de legenda
PANDEMIA NO LEGISLATIVO Botelho confirma 8 casos de Covid, mas descarta “fechar” a AL
EFEITO CORONAVÍRUS Botelho: Se a crise se alongar, eleição terá que ser adiada
ASSEMBLEIA Janaina conta com apoio de 10, mas crê em reeleição de Botelho à presidência
SENADOR ACom as candidaturas de Pivetta, Fávaro e Júlio, Mauro ficará neutro, afirma Botelho
LONGEVIDADE NO PODER Carvalho elogia Botelho, mas garante que Paiaguás não interfere por reeleição na AL
Publicidade

Copyright © 2013 - 2020 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados