• Diamantino, 24/04/2019
PAZ E DEMOCRACIA

Apoiadores de Haddad promovem caminhada em Cuiabá 631

Com faixas, bandeiras e cartazes, os apoiadores de Haddad se manifestaram por ruas da Capital


Fotografia: Marcus Vaillant/ Gazeta Digital

Manifestantes favoráveis à campanha do presidenciável Fernando Haddad (PT) se reuniram na manhã deste sábado (20) em frente à Igreja do Rosário e São Benedito, na região Central de Cuiabá, para realizar uma "Caminhada pela Paz e Democracia" em apoio ao candidato que disputa o 2º turno contra Jair Bolsonaro (PSL). Após a concentração, os militantes caminharam pelo Centro Histórico da Capital até a Praça da República, na avenida Getúlio Vargas.


 


Com faixas, bandeiras e cartazes, os apoiadores de Haddad chamam a atenção para a busca de paz e defesa da democracia.


 


A técnica de educação básica, Edna Bernardo, participou do ato e se diz preocupada com a atual situação de divisão política instalada no país.


 


“É muito preocupante o rumo que as eleições tomaram. Está havendo um debate de confronto quando deveria haver debate de ideias. Estou aqui defendendo uma bandeira que eu entendo ser a mais democrática, da qual eu pertenço como classe trabalhadora. Enquanto do outro lado não tem feito proposta”, afirma.


 


A servidora estadual pontua ainda preocupação sobre a forma como alguns eleitores de Jair Bolsonaro têm se manifestado. “Eles têm demonstrado ódio muito grande em algumas questões, que nós sabemos que historicamente sabemos que foram defendidos por grupos e movimentos sociais e que hoje corre grande risco”, frisa Edna.


 


Para coordenador geral da campanha de Haddad em Mato Grosso, Carlos Abicalil, a disputa pela Presidência da República é mais do que uma campanha eleitoral. “É a opção pela consolidação da prática democrática, da liberdade de opinião, da garantia de direitos, da liberdade de manifestação, da consolidação de uma política de inclusão e repartição de renda e por outro lado às ameaças de medo, pânico, tortura, práticas de discriminação”, pontua.


 


A professora Ivone Rodrigues dos Santos, 31, atribui o desconhecimento da população sobre as opções à presidência devido às falsas notícias e “propagação de ódio”. “Há uma falta de noção do que realmente é o processo democrático. Nós precisamos dialogar olho no olho, mostrando os fatos e não com brigas o que tem causado um processo de intolerância geral. Espero que ao fim deste pleito eleitoral não surja uma onda de ódio e que o respeito prevaleça acima de tudo”, afirma.


 


Aposentado após 22 anos lecionando, o professor de economia política Vicente Ávila faz questão de declamar o verso de um poema com crítica aos fatos ocorridos em meio a campanha realizada no 1º turno e com alusão ao pleito do 2º turno. “Que facada em candidato nunca mais aconteça e que aquelas coisinhas espalhadas pelo intestino não subam para a cabeça”, recita Ávila.


 


Conforme a previsão dos participantes, o movimento deve seguirr ao longo do dia com manifestações culturais, promovida por iniciativa de artistas da cidade na região central de Cuiabá.


 


 


Dentre os participantes do evento, estão petistas e simpatizantes, lideranças do partido que estão ajudando a alavancar a campanha de Haddad em Mato Grosso, a exemplo do deputado estadual Valdir Barranco, presidente do Diretório Estadual. E também pessoas que não concordam com os posicionamentos políticos do adversário de Haddad no 2º turno da eleição presidencial que acontece no dia 28 deste mês.

Veja também

DÍVIDA DE R$ 700 BI Ministro Paulo Guedes afirma que Lei Kandir
RODÍZIO Botelho se licencia e Janaína Riva se torna a 1ª mulher a presidir a ALMT
Outros municípios também foram indicados para receber investimentos
MANIFESTAÇÃO TRABALHADORES REALIZAM ATO EM TANGARÁ CONTRA A REFORMA DA PRESIDÊNCIA
AÇÃO CRIMINAL Confusão entre assessores de Barbudo e Selma durante a campanha vira processo
MANIFESTAÇÃO Centrais preparam ato contra reforma da Previdência e prometem fazer greve geral
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados