• Diamantino, 09/12/2019
RECISÃO

Prefeito Eduardo e a Audiência da Aguas de Diamantino

Eduardo afirmou que o municipio nunca aplicou penalidades a Empresa Aguas de Diamantino


Fotografia: Ascom Câmara Diamantino

O prefeito Eduardo Capistrano publicou uma nota em sua página pessoal do facebook afirmando ser mentira uma notícia publicada no site da câmara municipal de Diamantino a respeito da fala do prefeito na audiência pública sobre os serviços da empresa Aguas de Diamantino.


Na postagem da câmara onde afirma que o prefeito seria contra a criação de uma agencia reguladora entre outros pontos, o prefeito saiu em sua defesa publicando a seguinte nota:


“Não é verdade uma informação descontextualizada e distorcida publicada na página do Facebook da Câmara Municipal de Diamantino sobre a audiência pública realizada na noite desta terça-feira, 04, para discutir os problemas relativos à concessionária dos serviços de água e esgoto no município desde junho de 2014, a Águas de Diamantino.


Ao contrário do que foi publicado, em nenhum momento eu disse que sou contra a criação de um órgão de regulação do município para fiscalizar os serviços prestados pela empresa Águas de Diamantino.


Eu sou contra, sim, uma medida inviável neste momento devido ao alto custo que é manter uma estrutura para esta finalidade sem que o ponto central da discussão seja solucionado.


O que estamos buscando é resolver os problemas de forma inteligente, com responsabilidade e não criar outros decorrentes de atos irresponsáveis como os do passado.


Uma alternativa proposta por mim é a contratação de uma nova agência reguladora sem ônus para o município e vamos agilizar os procedimentos para isso o mais rápido possível. Portanto, não procede a informação veiculada.”


Diante da nota podemos perceber a todo momento que o prefeito tem colocado dificuldade em tudo que se relaciona a Aguas de Diamantino e até mesmo em recente entrevista Eduado praticamente atuou como defensa da empresa do que como prefeito de fato.


Eduardo não quer rescindir o contrato praticamente assinando que o município não ter competência para atuar nos serviços, a concessionaria arrecada cerca de 300 mil mensais e não cumpriu as metas e investimento e até mesmo o Ministério Publico já possui uma ação pedindo a rescisão do contrato.


Na audiência a CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito recebeu a notícia de que a AGER – Agencia Reguladora de Serviços Públicos que deveria fazer a fiscalização dos serviços da Aguas de Diamantino rompeu o contrato unilateralmente enviando farta documentação para a prefeitura de Diamantino que por sua vez não teria repassado os documentos para a comissão mesmo sabendo que estava em aberto na câmara a CPI das Aguas de Diamantino.


A maioria dos presente na mesa foram para a audiência sem dados ou informações para repassar a população, o próprio prefeito afirmou que a administração não aplicou nenhuma penalidade a empresa pelas constantes reclamações por ser um valor irrisório ao qual não disse qual o valor.


No resumo da opera, a empresa se comprometeu a rever os valores absurdos cobrados em várias contas diante de um mutirão de concitação que acontecerá neste sábado. Mais estranho é ver um serviço que esta dando lucro e o prefeito resistente em assumir ele como acontecer em outros municípios futuristas como é o caso de Nova Mutum.


A todos que se sentiram ou foram lesados pela pelos serviços ou valores cobrados pela empresa Aguas de Diamantino devem procurar também o Procon de Diamantino.



Themis de Oliveira, presidente executivo responsável pela Águas de Diamantino assim como o promotor de justiça Daniel Balan estiveram na audiência.

Veja também

DIAMANTINO Gestão Eduardo tira dentista do Pedregal para colocar esposa.
ALTO PARAGUAI Prefeita confirma que Inauguração de brinquedos acontecerá dia 22
ALTO PARAGUAI Menina com leucemia encontra em casa doadora de medula
ALTO PARAGUAI Brinco de Ouro e Juventude disputam a final do amador
EMPREGOS Sine tem 1.330 vagas para Mato Grosso 18 em Diamantino nesta semana
VOCAÇÃO Alto Paraguai aposta na fruticultura
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados