• Diamantino, 21/09/2019
SUSTENTABILIDADE

Deputado propõe rastreabilidade da produção de ovos em MT

A identificação permitirá a rastreabilidade desde a procedência até a venda.


Fotografia: MAURÍCIO BARBANT/ALMT

A Assembleia Legislativa vai debater, nos próximos dias, o projeto de lei 590/19 que dispõe sobre a implementação do sistema de identificação individual na casca dos ovos produzidos em Mato Grosso. De autoria do presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM), objetivo é aumentar a segurança alimentar dos consumidores e foi apresentado em junho deste ano.


Conforme a proposta, a identificação permitirá a rastreabilidade desde a procedência até a venda. Além disso, os ovos com identificação individual estarão aptos para a comercialização por unidade desde que a embalagem e a forma de venda sejam aprovadas previamente pelo serviço de inspeção oficial de Mato Grosso.


No projeto, o parlamentar destaca a produção pujante de Mato Grosso que cresceu 7,6%, ficando 5% acima da média nacional. Isto porque em 2016 produziu 45,1 mil dúzias tornando o estado maior produtor de ovos de galinha da região Centro Oeste, bem como em destaque entre os estados que contribuíram para que a atividade comercial no país tenha alcançado a maior produção nos últimos 30 anos.


Ressalta que o crescimento da produção foi impulsionado por aumentos em 18 estados brasileiros, conforme o IBGE, com destaque para São Paulo que continua sendo o maior produtor de galinha do país, seguido por Goiás, Espírito Santo e Ceará. Em 2018, Mato Grosso produziu mais de 5,41 milhões de dúzias.


“Se aprovada, essa medida garantirá segurança nutricional e de saúde ao consumidor de ovos. O produto deverá sair das granjas com o código informando a data de produção e o registro do Indea (Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso)”, justifica Botelho, ao citar a refrigeração como outro ponto de atenção, já que o ovo tem até 21 dias para ser comercializado em temperatura ambiente, e no máximo 30 dias, se refrigerado.


Sobre o custo para a rastreabilidade, sem onerar o consumidor final, é importante que as associações firmem parcerias junto aos órgãos competentes para auxiliar nas despesas.

Veja também

CONCURSO Prefeitura e Câmara de Nortelândia abre concurso público com 70 vagas para diversos níveis
PROJETO DE LEI N° 54/2019 Deputados aprovam isenção de ICMS para produtos da agricultura familia
DIAMANTINO Inmet aponta temperatura de 46 graus e emite alerta para risco de morte em MT
PRODUÇÃO INDUSTRIAL Botelho garante apoio para programa de atração de indústrias em MT
PREVENÇÃO Botelho pede inclusão de Eletroconvulsoterapia no MT Saúde
BRUTAL Rapaz invade casa; mata ex, sogro e atira em sogra em MT
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados