• Diamantino, 16/05/2021
CONTRA COVID

Como o município de Diamantino transformou para melhor a saúde em meio a pandemia?

Mesmo com a crise ainda existe um lado bom


Acreditar que a pandemia do novo coronavírus possa deixar algum legado positivo é paradoxal e deve ser analisado do lado de fora, mas se há algum ponto positivo, qual seria este em meio a tantas tragédias pessoais e qual reflexão o resultado venturoso poderíamos tirar desse desastre?


Em Diamantino o médico anestesiologista Dr. Renan Loureiro, que atua na ala Covid-19 do município, apresentou dados sobre investimentos realizados em infraestrutura e qualificação contínua dos recursos humanos disponíveis que serão reaproveitados pós período pandêmico.


“No pior momento da pandemia conseguimos estruturar um setor inteiro dedicado ao tratamento de pacientes diagnosticados com Covid-19, principalmente aqueles que possam desenvolver alguma complicação como insuficiência respiratória, para isto foram adquiridos bens materiais de uso contínuo e que vão perdurar em uso do município por muitos anos, auxiliando os profissionais que aqui estiverem a tratar de pacientes nas mais diversificadas urgências e emergências”, disse. “Diamantino deu um salto tecnológico nos últimos meses com a aquisição de bombas de infusão, ventiladores mecânicos e podemos contar agora com um tomógrafo para o fechamento de diagnóstico clinico ou cirúrgico, sendo estes bens materiais fixos e que permanecerão a disposição mesmo após o término deste período pandêmico”, acrescenta o médico.


Outro ponto positivo que deve ser levado em consideração é a qualificação dos recursos humanos, o investimento realizado nas pessoas que atuam no enfrentamento a pandemia, sejam diretamente ligados a área médica hospitalar, a preventiva ou de terceiros setores que mantém a infraestrutura de trabalho ativa para o funcionamento da máquina.


“Devemos destacar os investimentos contínuos realizados em qualificação da nossa força de trabalho no enfrentamento, hoje a nossa equipe sabe manusear uma bomba de infusão, aprenderam junto a equipe da fisioterapia a manusear um ventilador mecânico e todos pudemos realizar cursos com profissionais especialistas no tratamento da Covid-19 como a Dra. Ludmila Hajjar, especialista em clinica médica cardiológica e professora da Faculdade de Medicina da USP de São Paulo”, afirma. “Ainda nesta semana, nossos profissionais vão em regime de escala à capital para participar da rotina de UTI´s para se qualificar tanto na parte prática, quanto teórica”, conclui Dr. Renan Loureiro.


Renan enfatiza em seu discurso a importância do fortalecimento do sistema de saúde no interior e a descentralização do atendimento médico-hospitalar na capital como meio de enfrentar futuros colapsos no sistema e vê o sucesso de Diamantino como exemplo no enfrentamento da pandemia possibilitando a abertura de novas frentes de atendimento no município.


“Espero que com essa pandemia possamos tirar de aprendizado que o interior pode e deve colaborar com a saúde do Estado, de forma mais sutil, porém se continuarmos nesse caminho poderá resultar num grande legado positivo para todo o Estado de Mato Grosso”, finaliza o médico anestesista.

Veja também

DIAMANTINO Dois jovens são presos por planejar roubo nos Correios e Casa Lotérica de Diamantino
DIAMANTINO Corpo de idoso morto em latrocínio é encontrado boiando em rio
DENÚNCIA Lira destinou parte de orçamento secreto federal para compra de carretas em MT
DIREITA Aliança com seis partidos de direita articula candidaturas a governo e Senado
NOVO Enfermeiro socorrista de Diamantino é o novo Ken humano brasileiro
VIZINHANÇA Homem tem morte encomendada por vizinho ao CV, leva 4 tiros, mas se salva
Publicidade

Copyright © 2013 - 2021 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados