• Diamantino, 16/05/2021
DIREITA

Aliança com seis partidos de direita articula candidaturas a governo e Senado

Além dos dirigentes partidários e do deputado Medeiros, participaram dessa segunda reunião do movimento de direita


Lideranças políticas e partidárias oficializaram, na noite desta sexta (24), a criação de um movimento da direita em Mato Grosso, que visa unir os partidos alinhados com as pautas defendidas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e "construir uma agenda política para o Estado, com ações concretas de defesa dos interesses da população mato-grossense".


Além da construção de políticas de direita, o grupo também analisou o processo eleitoral de 2022 e a necessidade de se unirem para fortalecer o projeto de reeleição do presidente Bolsonaro e apresentar uma alternativa política em Mato Grosso para a disputa pelo o Governo do Estado e Senado, como também a ampliação de representantes da direita na Câmara Federal e Assembleia Legislativa.


“A união da direita em nosso Estado é principalmente para atuarmos juntos em defesa de políticas públicas que possam melhorar a vida do cidadão. Concomitante a isso, temos a missão de defender o Governo Federal, pois nunca um presidente fez tanto por Mato Grosso como o presidente Bolsonaro. Infelizmente, se apropriam das ações do governo Federal, como é o caso do governador Mauro Mendes (DEM), e atacam o presidente já pensando no processo eleitoral do ano que vem”, pontua o deputado federal e vice-líder do  governo Bolsonaro na Câmara Federal, José Medeiros (Pode).


No encontro, Medeiros apresentou as ações do governo Bolsonaro no combate à pandemia em Mato Grosso e o volume de recursos enviados para o estado. "O presidente Bolsonaro divulgou o volume de recursos enviados para o Estado de Mato Grosso no ano de 2020, mas o governador Mauro Mendes disse que é fake news. Precisamos restabelecer a verdade desconstruindo as mentiras e ataques ao governo Bolsonaro", reforça o deputado federal.


Na reunião, que contou com a participação de dirigentes e lideranças de vários partidos, entre eles, o Podemos, PSL, PSC, Patriota, PRTB e DC, foi acordado a construção de um projeto político sem definições de nomes para a disputa eleitoral em Mato Grosso, especialmente ao governo.


“Sabemos que a nossa união é importante, mas o momento é de focar na construção de uma agenda conjunta para ajudar Mato Grosso e o país. Nosso foco, nesse momento, é o combate à pandemia e a recuperação da economia e dos empregos”, disse Medeiros, que teve sua pré-candidatura ao Senado lançada pelo presidente Bolsonaro na última segunda (19).


Para o presidente do PSL de Mato Grosso, Aécio Rodrigues, a divisão da direita causou prejuízos ao grupo no Estado e a eleição de nomes não alinhados com o presidente Bolsonaro.


“Temos os nossos interesses partidários, mas podemos convergir em nome de um objetivo maior. Sou simpático à candidatura do Medeiros ao Senado e de Reinaldo Moraes (PSC) ao governo, mas precisamos ter uma ação estratégica para ampliar a nossa representatividade em  2022”, disse o dirigente do PSL, que na reunião representou também os deputados estaduais Elizeu Nascimento (DC), Delegado Claudinei  e Ulysses Moraes, ambos do PSL.


Já o ex-deputado federal e presidente do Patriota de Mato Grosso, Victório Galli, reafirmou a necessidade de organizar os partidos e deixar as diferenças políticas de lado para construir um projeto de direita vitorioso.


“Precisamos estar unidos para evitar a derrota como aconteceu na eleição suplementar para o Senado. Nós não perdemos para o agronegócio, perdemos para nós mesmos”, frisa Galli, que é líder do Patriota, partido da ex-candidata ao Senado, coronel Fernanda Rúbia.


“Em função de outros compromissos, a coronel Fernanda não pôde participar desta reunião, mas garantiu presença na próxima”, informa o secretário-geral do Podemos , Dito Lucas. Ele acrescenta ainda, que na próxima reunião outros partidos e lideranças políticas serão convidadas.


O presidente estadual do PRTB, Jesse Barros, elogiou a iniciativa de unir a direita e reforçou a urgente necessidade de discutir os temas de interesse da sociedade. “Vamos trabalhar para união do grupo e para a construção desse projeto, que ultrapassa os interesses eleitorais”.



Além dos dirigentes partidários e do deputado Medeiros, participaram dessa segunda reunião do movimento de direita, o deputado estadual Gilberto Cattani (PSL), o prefeito de Campo Novo dos Parecis, Rafael Machado (PSL), o ex-vereador Abílio Júnior,o ex-vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro,o ex-candidato ao Senado, Reinaldo Moraes (PSC), além de outras lideranças políticas do estado.

Veja também

DIAMANTINO Dois jovens são presos por planejar roubo nos Correios e Casa Lotérica de Diamantino
DIAMANTINO Corpo de idoso morto em latrocínio é encontrado boiando em rio
DENÚNCIA Lira destinou parte de orçamento secreto federal para compra de carretas em MT
CONTRA COVID Como o município de Diamantino transformou para melhor a saúde em meio a pandemia?
NOVO Enfermeiro socorrista de Diamantino é o novo Ken humano brasileiro
VIZINHANÇA Homem tem morte encomendada por vizinho ao CV, leva 4 tiros, mas se salva
Publicidade

Copyright © 2013 - 2021 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados