• Diamantino, 06/07/2022
MINISTRO NAS REDES

Gilmar diz que crises fabricadas afastam país de resolver problemas reais

"Hora de reordenar prioridades", disse o decano do STF no Twitter


O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), usou uma rede social neste domingo (22) para criticar a "fabricação artificial de crises institucionais".


 


Nesta sexta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou apelos e ingressou no Senado com um pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, também do STF. No mesmo dia, a corte afirmou repudiar a decisão.


 


Sem citar o episódio, Gilmar escreveu no Twitter que é "hora de reordenar prioridades".


 


"A fabricação artificial de crises institucionais infrutíferas afasta o país do enfrentamento dos problemas reais. A crise sanitária da pandemia, a inflação galopante e a paralisação das reformas necessárias devem integrar a agenda política. É hora de reordenar prioridades", publicou o ministro.


Na sexta, logo após o pedido de impeachment feito por Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que não vai se render a "nenhum tipo de investida que seja para desunir o Brasil".


 


"Eu terei muito critério nisso e sinceramente não antevejo fundamentos técnicos, jurídicos e políticos para impeachment de ministro do Supremo, como também não antevejo em relação ao impeachment de presidente da República", afirmou o senador.


 


Em reação ao ato de Bolsonaro, o STF divulgou na noite de sexta uma nota oficial, sem assinatura, em nome de todo o tribunal. No texto, a corte "manifesta total confiança" no ministro Moraes.


 


"O Supremo Tribunal Federal, neste momento em que as instituições brasileiras buscam meios para manter a higidez da democracia, repudia o ato do Excelentíssimo Senhor Presidente da República, de oferecer denúncia contra um de seus integrantes por conta de decisões em inquérito chancelado pelo Plenário da Corte", diz o texto.


 


A formalização do pedido de impeachment do ministro do STF ocorreu no dia em que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços do cantor Sérgio Reis e do deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), aliados do presidente.


 


As medidas foram solicitadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e autorizadas por Moraes.


 


O presidente também reclama do fato de Moraes ter acolhido a notícia-crime do TSE e ter decidido investigá-lo por suposto vazamento de dados sigilosos de inquérito da Polícia Federal sobre invasão hacker à corte eleitoral em 2018.

Veja também

BENEFÍCIOS ILEGAIS MPE aciona TJ para derrubar VI e RGA de vereadores em MT
ACORIZAL Laudo aponta que assinatura de Benna renunciando à presidência da Câmara foi falsificada
ELEIÇÕES 2022 Eduardo Gomes filia ao Patriota e representará o médio norte
XADREZ ELEITORAL Fim da janela partidária: veja para onde foi cada deputado de MT
PRESTANDO CONTAS Deputado Dilmar Dal Bosco apresenta balanço de ações realizadas em 2021
CONFUSO Deputado bolsonarista admite racha da direita em MT
Publicidade

Copyright © 2013 - 2022 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados