• Diamantino, 22/01/2021
REGULARIZAR

TRE muda prazos para regularizar quase 600 mil títulos e evitar ausências em eleição suplementar


 


Preocupado com a possível abstenção em Mato Grosso, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estipulou o dia 21 de fevereiro como limite para regularização dos quase 600 mil títulos cancelados. A data tem ligação direta com a eleição suplementar ao Senado, marcada para ocorrer no dia 26 de abril.


Novo nome será escolhido para ocupar a vaga da senadora cassada, Selma Arruda (Pode). A previsão de gasto no novo pleito alcança o montante de R$ 11 milhões.

Segundo o TRE, até dezembro de 2019 Mato Grosso possuía 2,1 milhões de eleitores aptos, 503.718 eleitores com os títulos cancelados e 25.564 suspensos. De lá para cá este número foi atualizado e agora é de 572.887 mil. “Nós temos uma quantidade muito grande de eleitores que estão em situação irregular”, explicou o presidente do TRE, Gilberto Giraldelli.

“Pela letra da lei, o fechamento do cadastro eleitoral teria que se dar com 151 dias anteriores à data da eleição. Ou seja, se a eleição, está fixada para se realizar no da 26 de abril, nós teríamos que contar 151 para trás. Daria em novembro. Nós teríamos uma situação bastante difícil, se nós colocarmos o fechamento do cadastro em novembro, nós teríamos eleitores que fizeram a regularização dos seus títulos após novembro, ele não poderia votar”, explicou o desembargado.

“Levando em consideração esse grande número de eleitores que ainda não fizeram a regularização biométrica dos seus títulos de eleitores, é que nós, baseados em precedentes, estabelecemos um prazo de 65 dias anteriores à data da eleição para o fechamento do cadastro”, finalizou.

Cassação

O Plenário do TSE negou, em sessão de dezembro de 2019, o recurso da senadora Selma Arruda e manteve decisão do TRE pela cassação do diploma pela prática de abuso do poder econômico e arrecadação ilícita de recursos nas eleições de 2018.


A decisão foi estabelecida por maioria, com seis votos a um. Apenas Edson Fachin votou por reverter a cassação. O relator determinou a execução imediata do julgado. A corte ainda determinou a realização de uma nova eleição, impedindo a diplomação do terceiro colocado no pleito de 2018, Carlos Fávaro.

Veja também

CONCURSO Prefeitura lança concurso com 257 vagas e salário inicial de até R$ 7 mil
GARIMPO Operação desativa garimpo em MT
A PANDEMIA CONTINUA “MT está em alerta; do jeito que está, aulas não devem voltar”
TAPETÃO ELEITORAL Candidata perde prazo para derrubar vereadores em MT por “13 horas”
LARANJÁVEIS 31 candidatos não tiveram votos, mas receberam dinheiro do
ELEIÇÕES Enfermagem elege dois prefeitos e mais de 30 vereadores e Coren comemora
Publicidade

Copyright © 2013 - 2021 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados