• Diamantino, 25/03/2019
Fenabrave

Vendas de veículos crescem 29%, mas implantação de sistema na Sefaz prejudica registros 251


Fotografia: Reprodução

Com a troca do sistema operacional na Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), que iniciou no dia 23 de novembro e permaneceu até o fim do mês, a emissão de notas fiscais ficou prejudicada, porém as vendas de veículos novos no acumulado do ano registraram crescimento de 29,67%, conforme dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Segundo a assessoria, de janeiro a novembro de 2018 foram emplacadas 85.400 unidades entre automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários. Já no ano passado, foram emplacadas 65.857 unidades em todos os segmentos automotivos.


Somente de automóveis e comerciais leves, foram 3.797 vendas no acumulado do ano. Caminhões e ônibus somam 317 unidades, motos foram 2.592 e implementos rodoviários e outros somam 645 de janeiro a novembro.

Em relação a outubro, os dados referentes às vendas de veículosnovos registram em todos os segmentos queda de 19,51%. A baixa ocorreu principalmente no número de emplacamentos de automóveis (-25,99%), comerciais leves (-24,08) e motocicletas (-18,41). Em relação a novembro do ano passado, ocorreu aumento de 1,18% em todos os segmentos.

"Desta maneira, lançamentos de novos documentos serão realizados em dezembro, quando deve ter um acumulo no registro de vendas", explicou o diretor da Fenabrave – Regional Mato Grosso, Paulo Boscolo. Mesmo com problemas nas Sefaz e a falta de lançamento de notas fiscais, Boscolo destaca que a expectativa de crescimento nas vendas se mantém.

Veja também

Saída de Cuiabá Juiz manda posto pagar R$ 800 mil em multas por preço abusivo em combustível
ECONOMIA Gasolina sobe em 25 estados, diz ANP; valor médio avança 0,59% no país
TROTES Samu recebeu 1.061 trotes apenas no feriado de carnaval deste ano
EDUCAÇÃO Unemat divulga edital do Vestibular com 3.020 vagas em todo o Estado
DIAMANTINO NA UCMMAT Nova Mesa Diretora da UCMMAT faz a primeira reunião de trabalho
ECONOMIA Principais produtos consumidos na Capital ficam 10% mais caros e custam R$ 453
Publicidade

Copyright © 2013 - 2019 Jornal O Divisor - Todos os direitos reservados